Gravataí

Fonte: SAPO Saber, a enciclopédia portuguesa livre.

Nota: Se procura o rio de mesmo nome, consulte Rio Gravataí.

Município de Gravataí
Gravataí vista da pracinha de cima
"Cidade das Bromélias"
Brasão de Gravataí
Bandeira de Gravataí
Brasão Bandeira
Hino
Aniversário 8 de abril
Fundação 1763
Gentílico gravataiense
Lema
Prefeito(a) Rita Sanco (PT)
Localização
Localização de Gravataí
29° 56' 36" S 50° 59' 38" O29° 56' 36" S 50° 59' 38" O
Unidade federativa border Rio Grande do Sul
Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre IBGE/2008 [1]
Microrregião Porto Alegre IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Porto Alegre
Municípios limítrofes Norte: Novo Hamburgo e Taquara;
Sul: Alvorada e Viamão;
Leste: Glorinha;
Oeste: Cachoeirinha e Sapucaia do Sul.
Distância até a capital 22 quilômetros
Características geográficas
Área 497,82 km²
População 266.230 hab. est. IBGE/2008 [2]
Metro {{{população_metro}}} hab. est. IBGE/2008 [2]
Densidade 524,6 hab./km²
Altitude 26 metros
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC-3
Indicadores
IDH 0,811 elevado PNUD/2000 [3]
PIB R$ 3.713.639 mil (BR: 83º) - IBGE/2005 [4]
PIB per capita R$ 14.016,00 IBGE/2005 [4]

Gravataí é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Pertence à Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre e à Microrregião de Porto Alegre. Seu nome tem origem numa espécie de bromélia conhecida como Gravatá. A atual prefeita é Rita Sanco, eleita em 2008[5].

O município possui o sexto maior PIB e a sexta maior população do estado[6]. A criminalidade é a mais baixa da região, com taxas bem inferiores às de Porto Alegre e demais municípios da Região Metropolitana[7].

A cidade faz aniversário em 8 de abril. Gravataí foi fundada em 1763, nove anos antes de Porto Alegre. O acesso à cidade pode ser feito por três rodovias estaduais (RS-118, RS-020 e RS-030) e uma federal (BR-290). Localiza-se a 22 quilômetros da capital do estado e a 20 quilômetros do Aeroporto Internacional Salgado Filho. Gravataí é conhecida pelo forte polo industrial, no qual se destaca uma unidade da fábrica de automóveis GM.

Índice

[editar] História

O nome da cidade tem origem numa espécie de bromélia conhecida como Gravatá. Em Tupi-guarani, Gravatahy, que significa "Rio dos Gravatás".

Em 8 de abril de 1763 é fundada a Aldeia de Nossa Senhora dos Anjos.

A Coroa Portuguesa, ao expandir seus domínios para o sul da América, concedia cartas de sesmarias a quem já habitava a região, com o intuito de povoá-la. Pedro Gonçalves Sandoval, natural de Lima (Peru), recebeu a primeira sesmaria, pois já habitava o chamado rincão de Gravataí, nos campos de Viamão.

Nesta época, o capitão João Lourenço Veloso também recebeu sua sesmaria, dando posse das terras que habitava no mesmo rincão, mais a nordeste, próximo ao Morro Itacolomi. Parte dessas terras seria comprada pela coroa portuguesa para assentamento da então Aldeia dos Anjos. Era o primeiro arranchamento da aldeia, transferido posteriormente para as atuais terras centrais de Gravataí.

Portugal e Espanha, desde tempos pré-coloniais, avançavam um no território de outro; por esse motivo em 1750 assinaram o Tratado de Madrid, estipulando que Portugal devolveria a Colônia do Sacramento, fundada em território espanhol em troca dos Sete Povos das Missões, mais a nordeste. Para povoar os Sete Povos das Missões, os portugueses trariam colonos do superpovoado arquipélago dos Açores. O Tratado não se efetivou, os índios guaranis que habitavam a região não aceitaram abandonar as terras, dando início à Guerra Guaranítica.

Em conseqüência da guerra, milhares de índios fugiram para o território português, estabelecendo-se nas imediações do Rio Pardo, atualmente rio Santa Maria.

Desse contingente de refugiados, cerca de mil índios guaranis foram trazidos, em 1762, pelo Capitão Antônio Pinto Carneiro para as proximidades do rio Gravataí, dando início ao povoamento da Aldeia dos Anjos. Note-se que a Aldeia já existia de fato antes de sua fundação oficial (8 de abril de 1763).

Com a chegada dos colonos açorianos e a confusão gerada na região missioneira, esses tiveram que ocupar outras áreas, ou seja, o Vale do rio Jacuí (centro do estado) e o Vale do rio Gravataí.

Com a chegada de José Marcelino de Figueiredo, Governador da Província de São Pedro, em 1772, a Aldeia dos Anjos começou a se desenvolver. José Marcelino de Figueiredo urbanizou o aldeamento, construindo escolas, olarias e moinhos.

Em 1795, a Aldeia dos Anjos foi desmembrada da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Viamão.

Em 1806, a Aldeia dos Anjos foi elevada à condição de Freguesia, ou seja, distrito de Porto Alegre.

Em 11 de junho de 1880, foi assinada a Lei que emancipou a antiga Aldeia dos Anjos de Porto Alegre, passando-a à condição de Vila, com o nome de Vila de Nossa Senhora dos Anjos de Gravataí.

As últimas décadas do século XIX registraram significativo desenvolvimento para a vila, principalmente em função do cultivo da mandioca e da exportação de sua farinha para outras partes do país e exterior, através do Passo das Canoas.

Na década de 30, assumiria o governo do município José Loureiro da Silva, iniciando-se nova fase desenvolvimentista para Gravataí. Entre as suas principais realizações estão:

  • Implantação do sistema de energia elétrica na cidade.
  • Alargamento e calçamento das primeiras ruas.
  • Construção da estrada ligando Gravataí a Porto Alegre.
  • Projeto urbanístico atual do centro da cidade.

[editar] Política

Prefeitura Municipal de Gravataí
Prefeitura Municipal de Gravataí

Atualmente a cidade é administrada por Rita Sanco, escolhida após polêmica eleição em 2008. Originalmente candidata a vice-prefeita, foi alçada à condição de cabeça de chapa, poucos dias antes da votação, devido à impugnação de Daniel Bordignon por problemas ocorridos durante a passagem dele pela prefeitura entre 1997 e 2004.

Segue abaixo a lista de prefeitos que foram eleitos pelo voto direto:

[editar] Geografia

A área do município de Gravataí é de 497,82 km² (IBGE/2000). Destes, 121,37 km² constituem a zona urbana e os 376,45 km² restantes constituem a zona rural. Possui um relevo coxilhado, apresentando maiores elevações e morros na região norte, dentre os quais o Itacolomi é o mais conhecido. A cidade é banhada pelo Rio Gravataí e parte do município pertence à Área de Proteção Ambiental do Banhado Grande.

O clima é subtropical úmido, com verões quentes e invernos frios (para os padrões brasileiros) e chuvosos (tipo Cfa, segundo Köppen).

[editar] Economia

Segundo dados de 2005 do IBGE, o PIB de Gravataí é de R$ 3.713.639.000,00[4] e seu PIB per capita é de R$ 14.016,00.[4] A Fundação de Economia e Estatística classificou o município como o sexto maior Produto Interno Bruto do estado em 2005.[8]

Até os anos 1950, a economia do município foi baseada na produção rural, sendo a farinha de mandioca o principal produto produzido localmente. A partir da década de 1960 a cidade iniciou uma fase de transição para uma economia industrial. A criação do Distrito Industrial e a construção da "Freeway" Porto Alegre-Osório (BR-290) impulsionaram esta transição.

Embora já nos anos 1980 o PIB industrial estivesse entre os maiores do estado, foi com a instalação do Complexo da General Motors, no fim dos anos 1990, que Gravataí obteve uma visibilidade nacional. Segundo dados de 2005[9], Gravataí exportou neste ano um total FOB de US$ 326.652.182,00.

[editar] Contas Públicas

A arrecadação municipal foi totalmente transformada no período posterior à instalação da GM: a receita anual passou de R$ 30 milhões para cerca de R$ 380 milhões, o que representa uma multiplicação, em uma década, superior a 12 vezes[10].

  • Receita média mensal: R$ 23,6 milhões
  • Despesa mensal com investimentos: R$ 8,9 milhões
  • Despesa mensal com pessoal: R$ 9,5 milhões
  • Orçamento para 2008: R$ 243 milhões
  • Percentual de folha na receita corrente líquida: 50,23%

[editar] Demografia

Evolução demográfica
1872 5.852 [11]
1890 9.693 [12]
1900 12.855 [13]
1940 22.894 [14]
1950 27.853 [15]
1960 45.951 [16]
1970 52.462 [17]
1980 107.437 [18]
1990 173.396 [18]
2000 232.629 [18]
2008 266.230 [2]

Dados do Censo de 2000 (IBGE)[19]

  • População: 232.447
    • Homens: 114.777
    • Mulheres: 117.670
  • População urbana: 211.969 (91,19%)
  • População rural: 20.478 (8,81%)
  • Taxa de crescimento populacional: 3,06%
  • Jovens (entre 16 e 18 anos): 3.778
  • Expectativa de vida: 73 anos
  • Taxa de mortalidade infantil: 11,99 óbitos/1000
  • Eleitores[20]: 166.083
    • Homens: 79.767
    • Mulheres: 86.316
Evolução demográfica de Gravataí

[editar] Infra-estrutura

[editar] Saúde

Na cidade, apenas o Hospital Dom João Becker, administrado pelo Núcleo Coração de Maria, é capaz de realizar procedimentos médicos complexos. Oferece 189 leitos pelo SUS e disponibiliza emergência, internação, estrutura de diagnóstico (exames laboratoriais, raio X, tomografias e cirurgias eletivas) além de plantões com profissionais pediátrico, clínico, cirúrgico, obstétrico, anestesista e intensivista, que atua na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Para procedimentos mais simples, há o Pronto Atendimento Municipal, o Pronto Socorro de Traumatologia, o Centro Alfa, a Policlínica Central, e a Servimed, além de uma rede de postos municipais com 12 Unidades de Saúde e 11 Unidades de Saúde da Família[10].

[editar] Transporte

Devido ao fato de não ter sido planejada e por ter se desenvolvido no entorno da principal via de acesso à Porto Alegre à época, a cidade apresenta a peculiar característica de desenvolvimento urbano axial. Em Gravataí, o eixo é a Avenida Dorival Candido Luz de Oliveira. Tendo em vista o crescimento populacional acelerado desde meados do século XX, a capacidade de escoamento desta avenida de três faixas encontra-se atualmente saturada, sendo freqüente a ocorrência de congestionamentos nos horários de pico. Estes congestionamentos tendem a se agravar, tendo em vista que a frota municipal é pequena em relação ao número de habitantes (em 2006 haviam 53.341 automóveis[21], média de 4,9 gravataienses para cada carro). Em cidades com a mesmo modelo de desenvolvimento urbano, a solução comumente adotada é a criação de vias paralelas ao eixo principal. Em Gravataí, seria possível adotar uma solução deste tipo, com um acesso à BR 290 na altura da divisa com o município de Cachoeirinha, visto que esta rodovia federal é paralela ao eixo urbano.

Outras vias importantes são a Avenida José Loureiro da Silva, Avenida Centenário, Estrada Vânios Abílio dos Santos (Estrada da Corcunda), Avenida Brasil, Avenida dos Estados, Rua Antônio Gomes, Avenida Itacolomi, Avenida Alexandrino de Alencar, Estrada da Cavalhada, Avenida Senador Nei Brito e Avenida Ely Correa.

O transporte público de Gravataí é baseado em ônibus, micro-ônibus e táxis. A ligação intermunicipal rodoviária é realizada pelas empresas Sogil (Sede, Barro Vermelho - Ligação com Cachoeirinha, Porto Alegre, Canoas, Viamão e Glorinha), Unesul (Litoral, Interior), Vicasa (Morada do Vale, Costa do Ipiranga), Transcal, Citral (Morungava, Itacolomi, Morada do Vale) e Soul (ligação com Alvorada). O transporte interno municipal é realizado exclusivamente pela Sogil, que é a mais importante empresa de transporte localizada na cidade.

[editar] Água e esgoto

O abastecimento de água na cidade é realizado pela Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN), que atende 98% da área urbana, embora apenas 21,9% das residências contem com serviço de coleta e tratamento de esgoto[10]. A iluminação pública está presente em toda a área urbana e 90% das residências (incluindo as da área rural) estão ligadas à rede elétrica da Rio Grande Energia (RGE). Diariamente são recolhidas 150 toneladas de lixo em toda a cidade por empresa terceirizada.

[editar] Segurança

Em Gravataí a Polícia Civil conta com 2 Delegacias de Polícia e 1 Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA), para autuação e flagrante. A Brigada é representada pelo 17° Batalhão de Polícia Militar[10].

[editar] Educação

Gravataí conta com uma das maiores redes de escolas municipais do interior do Rio Grande do Sul, além de ter uma ampla rede de escolas estaduais, vinculadas à 28ª Coordenadoria Regional de Educação. Dentre as escolas particulares, destacam-se pela tradição a Fundação Bradesco de Gravataí o Colégio Dom Feliciano, o Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos e o Colégio Adventista de Gravataí.

Instituições de ensino básico
  • Rede municipal[10]
    • Creches: 20 (comunitárias conveniadas com a prefeitura)
    • Centros Municipais de Educação Infantil: 9
    • Escolas: 66 (52 na zona urbana e 14 na zona rural)
    • Alunos: 32.000
    • Professores: 1.885
  • Rede estadual[10]
    • Escolas: 24
    • Alunos: 20.508
    • Professores: 974
  • Rede particular[10]
    • Escolas: 37
    • Alunos: 7.343
    • Professores: 1.166
Instituições de ensino superior

A Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) é a maior e mais antiga instituição de ensino superior estabelecida no município. Mais recentemente foram criadas a Faculdade QI e a FACENSA.

[editar] Cultura

[editar] Pontos turísticos

Morro Itacolomi
Morro Itacolomi

As principais atrações naturais de Gravataí são o Morro Itacolomi, a Cascatinha de Morungava e o Pampas Safari. Como atrações culturais há o Museu Municipal Agostinho Martha e o Teatro do Sesc.

[editar] Esportes

O principais clubes esportivos de Gravataí são:

[editar] Mídia

Os jornais locais de maior circulação são o Jornal de Gravataí, Correio de Gravataí e Folha do Vale. A Revista Evidência é revista de maior circulação na região do vale do Gravataí[carece de fontes?].

{{Navbox |name = Rádios de Gravataí |state = |title = Bandeira de Gravataí Estações de rádio de Gravataí |image =

|titlestyle = background: #EFEFEF; |groupstyle = background: #EFEFEF; |abovestyle = text-align: center; background: #EFEFEF; |belowstyle = text-align: center; background: #EFEFEF;

|group1 = FM |list1 = 87.9 MHz - Comunitárias93.3 MHz - Novo Som105.5 MHz - Urbana

99.7 MHz[[Rádio Amiga FM 99.7 (Gravataí) A Rádio dos Amigos

|group2 = AM |list2 = 1570 kHz - Rádio Vale do Gravataí


}}


[editar] Nativismo

Centro de Tradições Gaúchas Aldeia dos Anjos

O CTG Aldeia dos Anjos, fundado em 22 de janeiro de 1956, possui uma área de 9 mil metros quadrados, com três salões de festas e uma sede social com 1,5 mil metros quadrados. Há ainda o Fogo de Chão João Barro, onde funciona o museu e uma biblioteca com mais de 500 obras de autores gaúchos. Os freqüentadores contam também com duas canchas de bocha, galpão das invernadas, com pista de dança e fornalha para assar boi no rolete. O CTG Aldeia dos Anjos é uma sociedade cultural com o intuito de preservar tradições, promovendo a integração da sociedade gravataiense com o folclore do Rio Grande do Sul. Reconhecido como Patrimônio Histórico e Cultural do Rio Grande do Sul, o CTG representa o município em eventos nacionais e internacionais. Também é o responsável pelo maior evento da cidade e um dos maiores do Estado: o Rodeio Internacional do Mercosul, realizado em novembro. Outro destaque do CTG é a invernada adulta, que já conquistou nove títulos de campeã do Estado em festivais de danças originais gaúchas.

[editar] Eventos e datas comemorativas

Festa das Bromélias

A bromélia é a flor-símbolo de Gravataí porque o nome do município é originado de uma espécie da planta, denominada gravatá (do tupi-guarani Gravatahy), muito encontrada nas margens do rio que corta a região. O gravatá é uma das cerca de 2.500 espécies de bromélias existentes em todo o Brasil. Todo ano, normalmente no mês de abril, a prefeitura promove a Festa das Bromélias, com primeira edição em 2004.

[editar] Residentes e cidadãos notáveis

Atenção: Esta página foi marcada para revisão!
Se tem algum conhecimento sobre este assunto, por favor verifique a consistência e o rigor deste artigo.


[editar] Referências

  1. 1,0 1,1 Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. 2,0 2,1 Estimativas da população para 1º de julho de 2008 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2008). Página visitada em 5 de setembro de 2008.
  3. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. FAMURS - Prefeito de Gravataí
  6. Os mais populosos do RS
  7. Índice de criminalidade.
  8. FEE (em Português) (2007).
  9. Prefeitura de Gravataí - Perfil Sócio-econômico
  10. 10,0 10,1 10,2 10,3 10,4 10,5 10,6 ClicRBS Eleições 2008 7 de outubro de 2008
  11. UFPel – Departamento de Economia / Recenseamento da População do Império do Brasil: 1872 - Paróquia de N. S. dos Anjos d'Aldêa 25 de maio de 2008
  12. Officina de Estatistica - Synopse do recenseamento do Brazil de 31 de dezembro de 1890 (página 102) 3 de setembro de 2008
  13. Typographia da Estatistica - Synopse do recenseamento do Brazil de 31 de dezembro de 1900 (página 85) 3 de setembro de 2008
  14. IBGE - Recenseamento Geral do Brasil (1940) - Série Regional, Parte XX (1950). Rio de Janeiro: Serviço Gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 3 de setembro de 2008
  15. IBGE - VI Recenseamento Geral do Brasil (1950) - Série Regional Volume XXVIII, Tomo I. Rio de Janeiro: IBGE 3 de setembro de 2008
  16. IBGE - Censo Demográfico de 1960 - Série Regional Volume I, Tomo XVI. Rio de Janeiro: IBGE 3 de setembro de 2008
  17. IBGE - VII Recenseamento Geral - 1970 Série Regional Volume I, Tomo XXI (página 454). Rio de Janeiro: IBGE 3 de setembro de 2008
  18. 18,0 18,1 18,2 Dados do IBGE compilados pelo DATASUS
  19. IBGE Cidades@
  20. TRE-RS 7 de outubro de 2008
  21. IBGE - Frota 2006

[editar] Ligações externas

" style="vertical-align:middle; padding-left:7px; width:0%;">}}}}

Ferramentas pessoais